QUADRIL

O quadril é formado pelo acetábulo (osso da bacia) e pela cabeça do fêmur (osso da coxa). 

A dor no quadril geralmente vem na região glútea, virilha ou na lateral da coxa. Por ser um articulação profunda e com muita inervação importante passando ao redor do quadril é frequente a irradiação da dor para outros locais como o joelho.

Doenças do quadril podem ser confundidas com problemas na coluna, no joelho, patologias genitais e até processos infecciosos abdominais.

ARTRITE/artrose

É a degeneração (desgaste) da cartilagem articular do quadril.

 

Os sintomas são de dor na virilha, lateral da coxa e nádegas. A limitação dos movimentos pode reduzir a capacidade em realizar atividade física e atividades habituais como calçar meias ou cortar as unhas dos pés.

O diagnóstico é a união entre o exame clínico do médico ortopedista e os exames de imagem (Radiografia e Ressonância Magnética).

 

O tratamento é realizado de acordo com a limitação que a artrose está trazendo para a vida do paciente. Fisioterapia, medicações analgésicas, estimulo a atividade física e hábitos saudáveis.

 

O tratamento cirúrgico é reservado ao insucesso do tratamento conservador e é realizado através da artroscopia do quadril ou da prótese do quadril de acordo com o seu grau de acometimento da cartilagem. 

NECROSE DA CABEÇA FEMORAL

Osteonecrose do quadril é uma condição dolorosa que ocorre quando o suprimento de sangue para o osso é interrompido. Seria o equivalente a um infarto do coração, porém na cabeça femoral. 

 

Existem diversos fatores de risco, entre eles:

 

  • Abuso de álcool.

  • Traumas de alta energia no quadril.

  • Uso de corticóide ou outras medicações.

  • Doenças hematológicas como a anemia falciforme

O diagnóstico é realizado com o exame clínico associado a exames de imagem (radiografias, Ressonância Magnética e Cintilografia Óssea).

 

As opções de tratamento não cirúrgico envolvem retirar, quando possível, o fator que causou a necrose (álcool, corticóide), uso de analgésicos e retirar a carga com muletas.

 

O tratamento cirúrgico será indicado para melhora da dor e retorno a qualidade de vida do paciente.

 

A depender do grau de comprometimento da cabeça femoral podemos indicar procedimentos preservadores (descompressão, implante de células tronco e enxerto ósseo) ou a prótese de quadril que é reservada para os estágios mais avançados de degeneração articular.

SÍNDROME DO IMPACTO FÊMORO aCETABULAR

É uma condição onde existe o contato anormal dos ossos do quadril (entre a bacia e o fêmur) porque estes possuem uma alteração de seu formato.

 

Os sintomas mais comuns são a limitação nos movimentos e a dor na virilha, na parte lateral da coxa e na nádega.

Atletas de algumas modalidades desportivas como o tênis, bicicleta e ginástica estão mais propensos a terem sintomas.

O diagnóstico é realizado através do exame clínico de um especialista + exames de imagem (radiografia e ressonância magnética).

 

O tratamento deve ser realizado de forma correta para evitar que o impacto fêmoro acetabular leve a uma artrose do quadril por lesão do labrum e da cartilagem articular.

 

O tratamento conservador é feito por equipe multidisciplinar (médico, fisioterapeuta e nutricionista) seguindo protocolo específico da equipe.

Na falha do tratamento conservador o tratamento cirúrgico em geral é realizado através da artroscopia do quadril.   

BURSITE DO QUADRIL

É a inflamação de uma bursa. Bursa é um pequeno saco gelatinoso que ficam nas principais proeminências ósseas ao redor de todo corpo (ombro, quadril, cotovelo, etc). A bursite mais comum no quadril é a bursite trocantérica.

 

Os principais sintomas são o de dor na lateral no quadril, dificuldade em dormir de lado e inchaço na face lateral da coxa. 

 

O diagnóstico é realizado com exame clínico + exame de imagem (Ressonância Magnética ou Ultrassom).

 

O tratamento exige mudança nos hábitos de vida como:

 

  • Atividade física de baixo impacto associada a alongamento da região do quadril.

  • Redução do peso corporal no caso de sobrepeso/obesidade.

  • Treino de postura e hábitos noturnos.

O tratamento com equipe multidisciplinar (médico, fisioterapeuta, nutricionista) associado a terapia medicamentosa tem ótimos resultados.

Na falha do tratamento conservador fica reservado o tratamento com infiltração ou ressecção cirúrgica da bursa afetada.

FRATURAS NO QUADRIL

As fraturas na região do quadril acontecem, em geral, na população acima dos 70 anos de idade e estão muito relacionadas com o quadro de osteoporose. As fraturas podem ocorrer no osso da bacia (acetábulo) ou no fêmur.

Um trauma mesmo que de baixa energia como uma queda dentro do banheiro ou tropeçar no tapete da sala podem ser a causa de uma fratura. Orientações sobre casa segura estão disponíveis na internet.

O diagnóstico e tratamento devem ser realizados com certa urgência. Nos casos de fratura do fêmur geralmente indicamos o tratamento cirúrgico pois o tratamento conservador iria exigir longos períodos na cama e com quadro importante de dor.

O tratamento cirúrgico é realizado com placas, mais parafusos, hastes intramedulares ou prótese de quadril.

A cirurgia permite que o paciente logo volte a andar e possa retomar as suas atividades de vida diária.

  • Branca Ícone Instagram

@DrDaviVeiga

COT (Pituba e Canela)
71 2102.4524

ISO - HOSPITAL DA BAHIA
71 3342.4439

71 991216750

HOSPITAL SANTA HELENA

(Camaçarí)
71 3622.7555

Clinicas-clivale.png

CLIVALE

71 3512.8500

3310.0000

GOE
71 3033.9888